CF: Troublemaker (Lizzie)

em sábado, 8 de outubro de 2016 |

OUVI UM ALELUIA?!
Mil perdões pela demora, Lizzie, acho que nunca demorei tanto em uma entrega, juro que não foi de propósito. Um bando de coisa começou acontecer na minha vida, problemas acadêmicos, aquela coisa toda... Desculpa, sério!
Amei fazer seu pedido e espero que ele seja útil para você, de verdade. E lembre-se: nada do que eu disse aqui foi pra te ofender, okay? Peço desculpas novamente, e vamos para sua avaliação:


Sinopse: Rose Weasley é a ovelha negra da família Weasley. Sonserina, ousada, sem freios quanto ao que fala e perigosamente confiante, ela se torna um problema para Scorpius Malfoy quando toma posse do maior segredo dele. Compelido pela chantagem e preso nas teias de manipulação dela, Scorpius terá de cumprir a missão que lhe foi empurrada: ajudá-la a melhorar suas médias para que possa conseguir se formar e ir embora para a Romênia, onde poderá se ocupar com seus dragões e deixá-lo em paz uma vez por todas. O que o Malfoy não contava era que Rose o pegasse totalmente desprevenido, totalmente apaixonante e duplamente problemática. Ela tinha seus problemas, assim como ele e juntos, formavam a bagunça mais atraente de toda Hogwarts.

Classificação: +16
Categorias: Harry Potter
Personagens: Alvo Potter, Dominique Weasley, Fred Weasley II, Lílian L. Potter, Personagem Original, Rose Weasley, Roxanne Weasley, Scorpius Malfoy, Tiago S. Potter
Gêneros: Amizade, Fantasia, Romance
 Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Capítulos: 4 (12.174 palavras) | Terminada: Não.
Publicada: 22/07/2016 às 17:19 | Atualizada: 08/08/2016 às 22:17

Aparência (capa + sinopse): (3,0)
Capa:
O posicionamento das fotos está muito bom para mim, elas combinaram entre si e estão quase colocadas no local certo. Perceba que próximo aos braços da Cintia, na primeira foto da esquerda pra direita, vemos claramente uma barra negra que corta a imagem. E acredito que aquilo seja o fundo da segunda imagem que, por sua vez, poderia ter ficado um pouco mais para o lado. As texturas favoreceram, para mim, o seu enredo. Esse fundo, de alguma forma, me lembrou o castelo e eu gostei muito dessa menção — o mesmo digo sobre o corvo e as velas. As fontes estão lindas, devo admitir, e estão em harmonia com o restante da capa, assim como seu coloring. A única parte que não me agradou por completo, nesse quesito, foi o styles usado na frase e o mesmo digo sobre o seu tamanho e posicionamento. Não sei como explicar, mas não gostei muito do modo como ela foi colocada ali; dentro da shape e tudo mais. Fora isso, tudo está perfeito e harmonioso na medida certa.
Nota: 1,3

Sinopse:
Gosto da sua sinopse. Ela foi desenvolvida de forma adequada e coerente com o seu enredo, menciona o nome dos personagens principais e o que desencadeará a aproximação de ambos deixando, ainda, a questão que instiga os leitores a continuarem lendo, no ar: qual seria o segredo do Malfoy?
Confesso que fiquei bem curiosa quando li.
Mesmo assim, não posso deixar de mencionar aqui “os pontos negativos” que não me permitiram ficar cem por cento satisfeita com ela:
✥ “...Weasley é a ovelha negra da família Weasley.” Acho que é desnecessária a menção do sobrenome da personagem logo no começo, uma vez que esta é mencionada logo após.
✥ “... Seus dragões e deixá-lo em paz uma vez...” De uma vez.
✥ “... Não contava era que Rose...” “Esperava era que Rose” soaria melhor.
✥ “Ela tinha seus problemas, assim como ele e juntos, formavam a bagunça...” “Ela tinha seus problemas, assim como ele. E, juntos, formavam a bagunça...”
Nota: 1,1
Nota de aparência: 2,4
 Ortografia: (4,0)
Sua ortografia é muito boa, realmente. Você é coerente naquilo que escreve e não faz rodeios quanto às reações ou atitudes dos personagens, e isso é muito bom. No entanto, embora bem organizado esteticamente, ortograficamente e que seus capítulos tenham sido devidamente betados — algo que não sei se era realmente necessário — encontrei deslizes durante os quatro capítulos que li. Sua grande maioria é apenas questão de uma revisão mais voltada aos erros cometidos durante a digitação, que infelizmente acontecem.
✥ “... Já haviam sido invetados.” Inventados.
✥ “Obrigada Al, mas...” Vírgula após a primeira palavra citada.
✥ “... Seguiam Albus e Dominique, que, trocando...” Sem necessidade da primeira vírgula.
✥ “O Jantar será servido...” Seria servido.
✥ “... No último duelo e uma pontada...” Vírgula após “duelo”
✥ “Hey Lis, você também...” Vírgula após a primeira palavra citada.
✥ “Olha Lysander, eu adoraria...” Digo o mesmo que anteriormente.
✥ “Hugo fez uma careta, já que na sua mente de um garoto de 9 anos...” Honestamente, não encontrei necessidade do “um garoto de”, pois o nome do personagem já é citado anteriormente e o mesmo ser novamente mencionado como “garoto” ficou um pouco estranho, para mim.
✥ “... Suspeitas estivessem corretas, ela teria um grande problemas para resolver” “Problemas” no singular, não plural.
✥ “... Seu irmão que ia a frente com Hermione.” “A” craseado.
✥ “Ela franziu, estranhando aquela cena.” Acredito que exista algo a ser acrescentado após “franziu”, não?
✥ “... Bruxo das trevas e foi sortudo o suficiente...” Vírgula após “trevas”
✥ “Ela era diferente e por isso, escondia...” Vírgula, também, antecedendo “por”
✥ “Rose assentiu e assobiando, foi a primeira...” Vírgula após “assentiu” e não “assobiando.”
✥ “Pior, foi abandonada pelo meu irmão e o que só me sobrou...” “Pior, fui abandonada pelo meu irmão, e só o que me sobrou...”
✥ “... Encostou na janela e observando a paisagem, sentiu...” Vírgula, também, após “e”
✥ “... Seu pai, um nascido trouxa mexicano.” Vírgula após “trouxa”
✥ “Minha mãe morreu quando o tinha nove anos...” Eu tinha nove anos.
✥ “De fato, os ideias da casa são impressionantes...” Existe algo errado nessa frase, mas não sei dizer, ao certo, se no lugar de “os ideias” seria “as ideias” ou “os ideais.”
✥ “... Me disse uma vez que, não é as escolhas...” “Uma vez que não são as escolhas.”
✥ “Pareciam estar certas, pelo menos ela achava que estava.” Que estavam.
✥ “... Que queria era ter uma festa...” Passando aqui para avisar que seu capítulo começa sendo narrado no presente, e não no passado.
✥ “Amava a família, muito, mas as vezes eles conseguiam...” “Mas, às vezes, eles conseguiam.”
✥ “... Privacidade adolescente e feminina chegou...” Chegaram.
✥ “Gritou, para sua voz não ser abafada...” Sem necessidade da vírgula.
✥ “... Pelo som que vinha do disco que vinil...” De vinil.
✥ “... Seus avós trouxas quando completou...” Vírgula após “trouxas”
✥ “Ah, oi mãe” Ah! Oi, mãe.
✥ “Eu que eu fiz não foi errado...” Acho que a frase correta seria “e o que eu fiz não foi errado”, estou certa?
✥ “... Albus ou Dominique já havia chegado.” Haviam chegado.
✥ “... Responsabilidade e isso a impedia de ir voltar para casa...” Sem necessidade do “ir”
✥ “... Mas vóvó Molly anunciou...” Vovó.
✥ “... Ele parecia mais... completo.” Letra maiúscula após as reticências.
✥ “... Lysander pelo braço e deixando os amigos para trás...” Vírgula após “e”
✥ “... Suportar ficar com pessoas ela não gosta” Que ela não gosta.
✥ “De repente de meu uma vontade...” Acho que trocou o “d” por “m”, não moça?
✥ “Oi gostosa” Vírgula após a primeira palavra.
✥ “... Aprontando aqui hein?” Vírgula após a segunda palavra mencionada.
✥ “Porque mesmo que a Roxanne e o Fred...” Por que.
✥ “... Descobrir que o que eles estavam...” Sem necessidade do primeiro “que”
✥ “... Aliviada por ter evitado os efeitos coletarais.” Colaterais.
✥ “... Estar lá presente para ver...” “Presente” entre vírgulas.
Nota: 3,0
 Enredo/Crítica Final: (3,0)
Devo admitir que “buguei” nesse quesito há dias. Não me pergunte o motivo para isso, mas eu simplesmente não conseguia — e nem sei se sou capaz de conseguir — escrever tudo o que eu estava sentindo durante a leitura da sua fanfic. Embora tenha certo tempo que li as últimas frases, honestamente, ainda não sei o que falar aqui.
Primeiro, gostaria de te parabenizar, sério. Eu nunca li algo que se assemelhe a sua ideia — pelo menos não com os personagens de HP —, e mesmo que a ideia de uma garota completamente “fora dos eixos” seja algo tão usado no mundo das fanfics, você conseguiu mudar e prender meus olhos durante a leitura. Não ficou monótono, apesar das muitas descrições — que só enriqueceram ainda mais a minha imaginação durante os capítulos —, tampouco chatas as confusões quanto às emoções da personagem mais jovem e a sua mudança quando mais velha. E mesmo que essa mudança de personalidade tenha sido apresentada aos leitores de forma rápida, para mim, pelo menos, não ficou embaralhado. Você conseguiu desenvolver de forma clara e muito bem organizada tanto os acontecimentos e conflitos entre os demais personagens, quanto às mudanças que cada um obteve durante o amadurecimento. Convenhamos, ninguém é a mesma pessoa desde a infância até o momento em que passa a conhecer melhor o mundo, não é mesmo? E acredito que isso também tenha valor no mundo bruxo, apesar de fictícios, querendo ou não, eles são pessoas e como tais precisam de mudanças e evoluções, sejam elas negativas ou positivas.
Em segundo, gostaria de enfatizar com completa estranheza e encantamento o quanto amei os seus personagens. Não só por serem da terceira geração, mas pelo modo como você os reinventou, de uma forma tão própria e original e, ao mesmo tempo, tão semelhante a tudo aquilo — que eu — imaginava, apesar de todas as referências, sem deixar aquele vazio que faz os leitores se perguntarem “como isso pode ser possível? Não faz sentido!”, e é verdade. Muitas coisas, no começo, ficaram embaralhadas para mim. Mas não digo “embaralhadas” quanto ao contexto de tudo, mas estranho no sentido de eu, realmente, nunca ter imaginado X personagens com N personalidades. Foi algo completamente novo para mim, e tão maravilhoso quanto à terceira geração convencional que a maior parte dos fãs cultua. A mudança das casas, por exemplo, foi genial! Eu jamais imaginei o Scorpius na Ravenclaw — essa sempre foi à casa da Rose para mim, sei que é “clichê”, mas enfim —, mas não porque não o achasse “inteligente” — ah, vá! Os Ravenclaw têm muitas outras qualidades além da inteligência, e muito mais defeitos do que todos pensam —, a ideia apenas nunca tinha passado pela minha cabeça, entende? Mesmo assim, foi maravilhoso para mim imaginar ele como o descreveu; inteligente e desencanado na medida certa, sem todo aquele ar de arrogância dos Malfoy — apenas em momentos oportunos, claro, mas não de forma exagerada —, desaforado e cheio de si como seus iguais, mas sempre muito pé no chão, ciente de seus deveres e afazeres, não se achando superior aos outros — pelo menos não no sentido “sou melhor que todos”. A Rose, por outro lado, não me deixou completamente chocada. Para mim, ela sempre foi aquela garota inteligente que sabe muito bem quais são seus pontos fracos e fortes, que sempre deixou claro seus pontos de vista e que não media as palavras — ou xingamentos — quando o assunto é defender aquilo em que acredita. E isso não mudou, pelo menos não completamente, a diferença é que a sua Rose é bem mais, como o próprio nome diz, “encrenqueira” e pertence a minha linda e amada segunda casa — isso mesmo que você entendeu u.u —, então não foi um completo absurdo pra mim, entende?
No entanto, não posso dizer o mesmo de Dominique que, diferente de tudo o que eu imaginaria, pode ficar com o Al... Como assim? Menina, juro que tive um tremendo de um susto quando enxerguei essa possibilidade no teu enredo. Como assim ela e o James serão apenas “um casinho passageiro”? Não estraga meu shipper, parça! Mesmo assim, devo admitir que, após os primeiros estranhamentos, eu gostei da ideia deles dois juntos. Não sei, foi fofo o modo como você descreveu as sensações dele, sob o ponto de vista do mesmo, em relação a ela quando acordou. Não destrói meu emocional não, moça! Já sou bem confusa em relação às coisas, por que você precisa me dividir entre esses dois irmãos tão distintos em caráter, mas tão divinos na beleza? Senhor! E, antes de encerrar, enfatizo aqui a minha completa gratidão por não ter excluído a linda da Lucy e Roxanne — como muitos fazem —, eu simplesmente amo elas e amei encontrá-las na sua fanfic, sério, você não tem noção do quanto isso me deixou completamente “nas nuvens.”
Por último, mas não menos importante, registro aqui a minha completa perplexidade e paixão pela sua fanfic. Acredito que já mencionei aqui, mas vale à pena repetir: sua ideia é maravilhosa! Eu simplesmente amei degustar dessa nova Rose, tão controversa para alguns e tão alcançável para outros. É estupendo perceber o quanto que ela pode ser parecida com os pais e, ao mesmo tempo, tão oposta a eles. Incrível encontrar alguém que não a faz ser aquela garotinha perfeita, que sempre segue as regras e faz tudo de acordo com a índole de seus pais, sem deixar margem para toda a sua personalidade e essência única. Convenhamos, é super comum e extremamente irritante encontrar pessoas que acham que os filhos devem seguir os passos dos pais. Muitas vezes, esse talvez fosse o caminho a ser seguido, mas, cara, qual o problema em ter personalidade própria? Conceitos e ideais diferentes daqueles que são propostos diante do que a sociedade — seja ela bruxa ou não — nos impõe? É tão sufocante não pode ser você mesma que, durante grande parte da leitura, eu desejei ser uma Rose. Não pela sua personalidade forte e sensual — sim, eu vi muito isso nela —, mas pela sua percepção de mundo para consigo mesma. Honestamente, eu gostaria de ser tão “pavio curto” quanto ela e conseguir não ter medo de expressar tudo aquilo que me soterra — embora eu faça muito isso, só que de forma subentendida. Talvez esse seja o problema.
Porém, voltando a sua estória e deixando de lado esse desabafo bizarro, quero te parabenizar novamente pelo seu enredo. Estou amando acompanhar e logo aparecerei pelos reviews com meus surtos inacabados e perplexos de encantamento. Parabéns!
Nota: 3,0
Nota Final: 8,4

E, antes que eu me esqueça, obrigada pela paciência *coração flechado*
XOXO’

2 comentários:

Cecília disse...

POSSO OUVIR UM AMÉM?
Noussa, Kerr, que demorinha hein? KKKKK
Miga, obrigada pela avaliação e pelas dicas ♥ eu adoraria receber reviews seus, mas acabei excluindo a fic pq tô passando por uma barra agora e sem poder dar atenção nenhuma à conta. Quando tiver mais tempo, irei reescrever todas as fics, melhoradas, incluindo Troublemaker e repostar. Se tu tiver paciência de esperar, vai ser ótimo te ter como leitora de novo! :*

Raquel Kermiłłian disse...

DESCULPA, SÉRIO!!
Entendo perfeitamente o sentimento, também estou sem tempo de escrever/postar minhas fanfics. É um saco!
Terei paciência sim, quando postar novamente e só chamar no PV avisando que eu broto por lá haha.
Por nada, moça. Amei fazer tua avaliação <3